Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

mil fontes - os tipos da literatura portuguesa

Poemas

Alberto-Caeiro.jpg

 

(...)Não era mulher: era uma mala
Em que ele tinha vindo do céu.
E queriam que ele, que só nascera da mãe,
E nunca tivera pai para amar com respeito,
Pregasse a bondade e a justiça!

Um dia que Deus estava a dormir
E o Espírito Santo andava a voar,
Ele foi à caixa dos milagres e roubou três.
Com o primeiro fez que ninguém soubesse que ele tinha fugido.
Com o segundo criou-se eternamente humano e menino.
Com o terceiro criou um Cristo eternamente na cruz
E deixou-o pregado na cruz que há no céu
E serve de modelo às outras.
Depois fugiu para o sol
E desceu pelo primeiro raio que apanhou.

Hoje vive na minha aldeia comigo.(...)

 

Autor: Alberto Caeiro

Editora: --

 

Este livro está disponível para consulta na empresa de contabilidade 

Anabela e Francisco Lampreia - Rua Principal (perto da Ceifeira)

Vila Nova de Milfontes